Follow by Email

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

JARDIM JAPONÊS

por Wellington Souza


Ela sentia-se só
mesmo comigo ao lado
sentado
buscando-a nos olhos
não conseguia trazê-la de volta
ao mundo que compartilhamos.


Posei minha mão sobre a sua,
nossos dedos formaram uma grade
no banco
e nem isso a libertou.
Recolhi, então,
de lado, a minha pequenez.


Pensei em sair,
deixá-la...
Permaneci.
Queria ficar sozinho também,
ali.
...
O mindinho dela buscou o meu
e ficamos,
enfim,
à sós.

Um comentário: